Uma coisa é certa: o que os primeiros cristãos compreenderam e interpretaram do acontecimento Jesus de Nazaré, ainda hoje nos alegra, porque a história nos ensina que quando nos comprometemos a restaurar a justiça, a reconhecer a dignidade da pessoa, a restabelecer a igualdade entre os seres humanos e a libertas as pessoas de todos os fardos que pesam sobre elas, há uma forte possibilidade de que a história se repete e de que encontramos em nosso caminho a cruz.

Referências bíblicas:

Evangelho dos Ramos: Mt 21,1-11

Evangelho da Paixão: Mt 26,14-27,66

 

Eis o texto.

A dupla festa de hoje diz tudo ao mesmo tempo: quem é este homem que é aclamado e depois rejeitado? Que é este homem capaz de chegar até aí? Quem é esse Rei que entra em Jerusalém montado em um jumento? Que é esse Messias que se deixa crucificar? Quem é esse Deus que Jesus evoca? Os relatos dos Ramos e da Paixão, segundo o evangelista Mateus, são relatos de fé, como o resto do evangelho, compostos à luz da Páscoa, para compreender um pouco melhor o Cristo ressuscitado e a Igreja que somos. Todos os evangelistas têm seus relatos dos Ramos e da Paixão de Cristo, mas cada um tem seus acentos e particularidades. Quais são as características de Mateus?...

*Leia na íntegra. Clique aqui:

http://www.ihu.unisinos.br/noticias/530199-morte-e-ressurreicao-uma-mesma-realidade-e-uma-mesma-esperanca

Última carta escrita pelo jornalista carmelita, Frei Tito Brandsma. Ele entrou para a Ordem do Carmo e  foi ordenado sacerdote em 1905. Doutorou-se em Filosofia pela Universidade Gregoriana de Roma. Foi professor na Universidade Católica de Nimega, chegando ao cargo de Reitor-Magnífico. Exerceu a função de Assistente-eclesiástico dos jornalistas católicos. Tornou-se conhecido de todos por sua afabilidade e disponibilidade. Durante a ocupação alemã de sua pátria, opôs-se à ideologia nazista, defendendo a liberdade das escolas católicas e da imprensa. Escreveu também contra a perseguição aos judeus: "No cumprimento da sua missão, a Igreja não conhece distinção de sexo, raça ou nacionalidade".

Frei Tito foi preso pela Gestapo em janeiro de 1942. Após sua passagem por vários cárceres, foi condenado ao campo de concentração de Dachau, onde foi morto com uma injeção de ácido fênico.

3 de Novembro de 1985 foi elevado às honras dos altares com o título de beato. Sua festa passou a ser celebrada no dia 27 de julho. Fonte: http://pt.wikipedia.org

(Esta carta se encontra no arquivo do Convento do Carmo da Lapa, Rio de Janeiro)

.

.

Consumada como ato administrativo, a canonização de José de Anchieta (1534-1597) reverberou no edifício católico: mais um beato chega à santidade sem a comprovação de milagres, por decisão pontifícia. Ou seja, assim querFrancisco. Na última quinta-feira, o papa despachou com o cardeal Angelo Amato, responsável pela Congregação para as Causas dos Santos, e, entre um expediente e outro, assinou o decreto conferindo novo status ao "Apóstolo do Brasil". Fez uma canonização por equivalência que, como explicaria Amato, "introduz o santo no culto universal, com ofício divino e missa em sua honra, mas sem sentença formal definitiva". A reportagem é de Laura Greenhalgh, publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 06-04-2014.

Anchieta disparou na estreita pista para a santidade só no ano passado, embora o clamor pela canonização tenha surgido logo após sua morte, no século XVI. Num café da manhã na Casa de Santa Marta, onde o papa Franciscomora em Roma, d. Raymundo Damasceno, arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), pediu atenção especial da parte do pontífice para a canonização do beato. Falou da obra..

*Leia na íntegra. Clique aqui:

http://www.ihu.unisinos.br/noticias/530007-francisco-dissemina-canonizacao-sem-milagre-

.

.

A verdade vos libertará, disse Jesus. (João 8,31-42)

Frei Geraldo Bezerra, 0. Carm. Província Carmelitana Pernambucana.

Para o discípulo de Jesus há uma única condição para experimentar da verdadeira liberdade, permanecer na Verdade que é Jesus. Que neste dia, procuremos viver mais intensamente os valores do Reino de Deus.

Para a comunidade cristã joanina a fraternidade é um dos meios mais eficaz para a permanência no amor de Deus. Renunciemos toda e qualquer relação de idolatria e busquemos permanecer na Verdade do. Pai que é Jesus, a verdade que liberta. (Via face...)

.

Na internet, o contato com o outro se torna muito mais fácil, simples e cômodo: com um clicar de botões, instantaneamente temos acesso ao mundo – e o mundo pode ter acesso a nós. E o que era para ser uma inter-relação – uma açãocom o outro –, muitas vezes, acaba desmoronando para uma ação sobre o outro e, facilmente, para uma ação contra o outro.

A opinião é de Moisés Sbardelotto, jornalista, doutorando em Ciências das Comunicação pela Unisinos e autor do livro E o Verbo se fez bit: A comunicação e a experiência religiosas na internet (Ed. Santuário, 2012). O artigo foi publicado na revista O Mensageiro de Santo Antônio, de abril de 2014.

Eis o texto.

“Um homem ia descendo de Jerusalém paraJericó e caiu nas mãos de assaltantes, que lhe arrancaram tudo e o espancaram. Depois foram embora e o deixaram quase morto” (Lc 10, 25-37). A parábola contada por Jesus é bastante conhecida e, infelizmente, muito atual em tempos de internet. São muitas as pessoas, especialmente crianças e jovens, que caem nas mãos de “assaltantes digitais”, que lhes arrancam tudo, espancam-nas, vão embora e as deixam quase mortas – em termos pessoais, familiares, comunitários e sociais...

*Leia na íntegra. Clique aqui:

http://www.ihu.unisinos.br/noticias/529939-o-samaritano-digital-como-superar-a-intolerancia-com-a-proximidade

.

.

.

Upworthy, o site de maior crescimento na historia da internet, se faz sem jornalistas. Lançado em março de 2012, ele atingiu, em novembro do ano passado, 87 milhões de visitantes únicos, quase três vezes mais do que o site do New York Times, e gerou 17 milhões de compartilhamentos no Facebook, publicando apenas 225 artigos...

*Leia na íntegra. Clique aqui:

http://www.mensagensdofreipetroniodemiranda.blogspot.com.br

.

.

Algumas vezes caminhando por Roma, outras tantas nas colinas Albani. O papa João XXIII (foto), que será santo em breve, escapava do Vaticano e do Palácio Apostólico de Castel Gandolfo, deixando para trás os guardas com estratégias fantasiosas: às vezes com seu cadillac Chrysler e outras em um Opel Rekord, de cor marfim e azul. Quem narra estes e outros episódios do pontificado de Angelo Roncalli (1958-1963) é o seu decano de antecâmara,Guido Gusso (o dono do Opel bicolor), que participou nesta terça-feira, dia 01-04-2014, da apresentação da digitalização do arquivo sonoro dos Papas na sede da Rádio Vaticana.

   
   

A reportagem é de Iacopo Scaramuzzi, publicada por Vatican Insider, 01-04-2014. A tradução é do Cepat.

“Após oito dias caminhando pelos Jardins vaticanos, disse-me: ‘Sempre damos a mesma volta!’. Leva-me à fonte doGianicolo, a Villa Borghese”, contou o “mordomo” do papaJoão. “Eram lugares que ele conhecia porque estudou em Roma. Eu lhe respondia: ‘Mas, Santidade, não podemos’. E ele: ‘Como não se pode? Peguemos o carro e vamos’. Os guardas ficavam loucos porque não sabiam onde estava oPapa”...

*Leia na íntegra. Clique aqui:

http://www.ihu.unisinos.br/noticias/529847-quando-joao-xxiii-escapava-do-vaticano

.