Frei Petrônio de Miranda, O. Carm. Padre Carmelita da Ordem do Carmo e Jornalista.

Convento do Carmo de Angra dos Reis/RJ. 09 de maio-2022.

 

Nesta segunda-feira, a Palavra de Deus nos adentra na espiritualidade cristológica da porta ou, como muitos dizem, do caminho pelo qual nós optamos: “Em verdade, em verdade vos digo, quem não entra no redil das ovelhas pela porta, mas sobe por outro lugar, é ladrão e assaltante. Quem entra pela porta é o pastor das ovelhas. A esse o porteiro abre, e as ovelhas escutam a sua voz; ele chama as ovelhas pelo nome e as conduz para fora”... (Jo 10,1-10).

Bem sabemos que as famosas parábolas- ou histórias que Jesus costumava contar- tinha como objetivo deixar uma palavra de conforto e fidelidade para o povo usando da própria realidade do cotidiano. Tal método era tão eficaz que, anos após anos pós-morte e ressurreição de Jesus, tais histórias ficavam na mente do povo e era passado de geração em geração.

É interessante relembrar que Ele conviveu com pastores que sobreviviam dessa cultura, portanto, era a vida que falava da vida sob a ótica da misericórdia de Deus e, ao mesmo tempo, das opções que aquele povo- e também nós- fazemos em nossas relações às vinte e quatro horas da nossa convivência com o nosso próximo.

Pastor, ovelhas, porta... Esta parábola parece bonita, mas por trás da história nos deparamos em nosso dia a dia com várias portas que aparentemente nos levam a Jesus, mas que, muitas vezes nos aliena e nos monopolizam no sentido social, político e religioso.

Hoje, entrar pela porta de Jesus Cristo na maioria das vezes é sinônimo de poder político, prestígio e statu quo. Que o diga o famoso caso do ministro da educação e pastor que, escandalosamente, desviava o dinheiro da pasta para comprar Bíblias. Lembramos ainda   daquele padre que, vergonhosamente comprou fazendas, casas de praia e avião com doações dos fiéis- muitas vezes pobres- para a sua obra evangelizadora. Estes dois casos concretos e recentes comprovavam a complexidade da entrada pela porta oficial de Jesus.

Diante de tais relatos podemos nos perguntar, afinal, que porta é esta que devemos entrar? Ainda é possível encontrar esta passagem que nos leva a Boa Nova de Jesus? Como se livrar desses aproveitadores da fé do povo? Acho que a famosa frase do Sumo Pontífice, o Papa Francisco- repetida por diversas vezes em suas homilias- é um parâmetro para este seguimento. Ele fala que os padres tem que ser “pastores com cheiro de ovelha”. Ou seja, não é apenas um comunicador da TV ou das Mídias Sociais, mas sentir de perto as alegrias e tristezas do povo. Podemos dizer que, todo evangelizador tem que sujar as mãos na construção de um mundo mais ético, humano e solidário.

Portanto, não basta entrar pela “porta de Jesus”, é necessário fazer o que Jesus fazia, falar como Jesus falava. Exemplo: Como pode um cristão seguir a Boa Nova e defender o porte de armas ou espalhar mentiras através das mídias sociais? Como pode alguém dizer que segue Jesus Cristo e ser contra a democracia e as suas instituições? Como pode alguém ler a Bíblia e fechar os olhos para os mais de 12 milhões de desempregados que passa necessidade? Como pode alguém se dizer homem ou mulher de Deus e ser homofóbico. Que Deus nos livre desses “santos e imaculados religiosos e religiosas”. E tenho dito!

A PALAVRA DO FREI PETRÔNIO- Com Frei Petrônio de Miranda, O. Carm- Direto da Comunidade Capim, Lagoa da Canoa/AL. 1º de maio-2022. Nota: Esta celebração litúrgica foi instituída em 1955 pelo papa Pio XII, diante de um grupo de trabalhadores reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano.

A PALAVRA DO FREI PETRÔNIO- Com Frei Petrônio de Miranda, O. Carm- Direto da Praia das Gordas, Angra dos Reis/RJ, deixa para você um olhar sobre o Evangelho Dominical deste domingo, dia 6 de janeiro-2021. (Lc 5, 1-11).

O Frei Petrônio de Miranda, O. Carm- Direto de Angra dos Reis/RJ- comenta o suicídio do padre Geraldo de Oliveira, de 77 anos. Ele foi encontrado sem vida, na terça-feira (1°), na Igreja Matriz de São Sebastião, em Surubim, no Agreste de Pernambuco e pertencia a Diocese de Nazaré. Angra dos Reis/RJ. 3 de fevereiro-2022.

A PALAVRA DO FREI PETRÔNIO- Com Frei Petrônio de Miranda, O. Carm- Direto do Convento do Carmo de Angra dos Reis/RJ, deixa para você um olhar sobre o Evangelho desta quinta-feira, 27 de janeiro-2021. (Mc 4, 21-25).

 

Por Frei Petrônio de Miranda, O. Carm. Comunidade Capim, Lagoa da Canoa/AL. 24 de dezembro-2021.

 

Será que o Menino Deus vai nascer no coração de um corrupto que desviou o dinheiro do combate a pandemia do novocoronavirus, tendo como consequência a morte de milhares neste Brasil de meu Deus?

Será que o Menino Deus vai nascer no coração de um negacionista que, durante todo ano de 2021 humilhou, agrediu- com palavras ou fisicamente- os profissionais da saúde no combate ao coronavírus?

Será que o Menino Deus vai nascer no coração de “cristãos” verdadeiros lobos disfarçados de cordeiros que foram para ruas pedindo a volta da Ditadura Militar, gritaram a favor do porte de armas e tentaram derrubar as instituições democráticas do nosso país?

Será que o Menino Deus vai nascer no coração de consumistas que, mesmo diante da fome, do desemprego- mais de 15 milhões de desempregados- fecharam os olhos para a fome estampada nos olhos de crianças, adolescentes, jovens e adultos?

Será que o Menino Deus vai nascer no coração de pais que, mesmo estando semanalmente na Igreja, foram estúpidos, ignorantes, arrogantes e violentas na família, a ponto de provocar o divórcio e a quebrar a família?

Será que o Menino Deus vai nascer no coração de jovens que se deixaram levar ao logo do ano pela droga, o sexo, o consumismo e a bebedeira, deixando assim os pais tristes, preocupados e deprimidos?

Será que o Menino Deus vai nascer no coração daqueles que, mais um ano foram sinais de fofocas no trabalho, na família, na Igreja e no cotidiano?

Será que o Menino Deus nasce no coração daqueles que destruíram o nosso bioma; a Amazônia, o Cerrado, a Caatinga, a Mata Atlântica o Pantanal e Pampa em nome da lucratividade, deixando assim a mãe natureza chorando?

Será que o Menino Deus vai nascer no coração de alguém que usa a religião para separar, discriminar, condenar e crucificar?

Será... E tenho dito!

Ele está entre nós... Por Frei Petrônio de Miranda, O. Carm. Comunidade Capim, Lagoa da Canoa/AL. 25 de dezembro-2021.

Frei Petrônio de Miranda, O. Carm. Mosteiro de Itaici, São Paulo. 15 de dezembro-2021. www.instagram.com/freipetronio

 

Aquele frade- preguiçoso e folgado- fugia da oração. De manhã falava que era dor de cabeça ou tinha esquecido o compromisso comunitário. Durante o dia ou à noite, tinha muitas obrigações- desde o atendimento aos pobres, até as intermináveis reuniões- que, dia após dia, semana após semana, mês após mês, ano após ano, “Consumia” a vida do incansável missionário da Boa Nova.

Tais atitudes ante oração já eram visíveis em sua relação conventual e com o povo de Deus, seja através da arrogância, da prepotência ou da auto-suficiência, sem falar no cansaço físico e mental, levando-o inclusive a adentrar no mundo do álcool, do cigarro e de outros vícios.

“A minha vida já é uma oração” - falava o dito cujo- encontrando desculpas para o encontro pessoal e amoroso com Jesus Cristo, seja através da lectio divina ou de alguns momentos- nem sempre agradáveis- de silêncio, meditação e contemplação.

Dizem os seus confrades que as horas canônicas não faziam parte da sua vida e, muitas vezes, ao celebrar a Santa Missa, parecia que estava subindo para o calvário ou vivia uma eterna amargura espiritual que, nos escritos de São João da Cruz, vai chamar de noite escura.

Moral da história: Oração é igual a vida matrimonial, se o casal não dialoga, vem os problemas e, muitas vezes até o divórcio. Jesus está sempre esperando a nossa visita e o nosso encontro íntimo e sincero. Podemos até falar de Jesus, estudar Jesus, anunciar Jesus, mas se não paramos para o encontrá-lo através da ORAÇÃO, seremos apenas um funcionário do sagrado comprido todas as obrigações que estão na “cartilha”. E tenho dito!

Frei Petrônio de Miranda, O. Carm. Mosteiro de Itaici, São Paulo. 14 de dezembro-2021, Festa de São João da Cruz. www.instagram.com/freipetronio

 

Naquela manhã de sol, a mãe natureza caprichou na beleza matinal. Tudo era bonito – um verdadeiro cenário cinematográfico- desde o canto dos pássaros, as folhas caindo das árvores, os raios luminosos do sol adentrando em cada árvore, o barulho das cachoeiras e rios, a formiga que, como mestres da construção, já estavam na batalha diária a procura de alimentos... Enfim, era algo extraordinário para jamais sair da memória daquele jovem frade que, encantado com tudo aquilo, vivia mais um retiro anual- desta vez, o primeiro pós-ordenação presbiteral- e, sem duvidas alguma, era o início de uma caminhada marcada pelo encanto e encontro como o Cristo através do silêncio, da contemplação, amorosidade e oração daquele memorável dia.

Como tudo passa- já dizia a mestra da oração, santa Teresa de Jesus- aquela experiência também passou na vida do jovem sacerdote. O corre-corre da vida paroquial deixou aquele jovem azedo, amargurado, mesquinho, depressivo e ranzinzo. Ele passou a dominar o sagrado e perdeu de vista o encanto sacerdotal e vocacional. Tudo era muito profissional e lucrativo em sua ação enquanto pastor e evangelizador. Mas onde estava a mística daquela manhã de sol? Onde estava aquele gosto e tesão vocacional vislumbrado nos momentos íntimos com Jesus Cristo? Bem, esta pergunta nem ele sabia responder. Só sei que o seu fim foi triste, sem vida, sem sal e sem açúcar, um verdadeiro estrupício.

Moral da história: As vezes precisamos retornar ao primeiro retiro da nossa vida, ao primeiro encontro, primeiro encanto e primeiras motivações vocacionais, caso o contrário, não passaremos de um funcionário do sagrado ou de um robô do altar e, o que é mais triste, seremos infelizes e machucaremos aqueles que atravessarem o nosso caminho. E tenho dito!

 

Frei Petrônio de Miranda, O. Carm, Padre Carmelita e Jornalista. Convento do Carmo de Angra dos Reis/RJ. E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. www.twitter.com/freipetronio  www.instagram.com/freiptronio

 

A cidade estava pegando fogo e todo mundo via, mas mesmo assim, todo mundo queria saber mais e esperava ansiosamente um comunicado do prefeito sobre os motivos das chamas que consumia as suas ruas, praças e casas.

Por sua vez- para desespero dos seus habitantes- o silêncio era sepulcral das autoridades. Onde começou? Alguém é culpado? Até quando viveremos este calor infernal? E Este silêncio macabro do Prefeito? Ele botou fogo para culpar os seus opositores?     

Os dias passaram, as noites passaram, os anos passaram.... Enfim, até hoje a população- mesmo depois de milhares de especulações- não sabem quais foram os reais motivos do início das chamas que destruiu cinquenta por cento de toda a cidade. Quer dizer... Na verdade alguns foram acusados e até julgados, mas, oficialmente não se ouviu nada das autoridades sobre o incidente.

Moral da história: Em tempos de mídias sociais, não deixe as pessoas fazerem especulações. Antes de “pegar fogo”, jogue um baldo de água fria com explicações claras, precisas e objetivas sobre os reais motivos das chamas. E tenho dito!

SOLENIDADE DA IMACULADA CONCEIÇÃO. Missa Solene Presidida por Frei Petrônio de Miranda, O. Carm. Próximas Missas em Angra dos Reis/RJ: 10h e 16h, seguida da Procissão.

Evangelho (Mt 5,1-12a)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e sentou-se. Os discípulos aproximaram-se, 2e Jesus começou a ensiná-los:

3“Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus.

4Bem-aventurados os aflitos, porque serão consolados.

5Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra.

6Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.

7Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.

8Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.

9Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus.

10Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus!

11Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem, e, mentindo, disserem todo tipo de mal contra vós, por causa de mim. 12aAlegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

31º Domingo do Tempo Comum (Mc 12, 28b-34). Um Olhar do Frei Petrônio de Miranda, O. Carm. Convento do Carmo de Angra dos Reis/RJ. Domingo, 31 de outubro-2021.

30º Domingo do Tempo Comum (Mc 10, 46-52). Homilia do Frei Petrônio de Miranda, O. Carm, direto da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Angra dos Reis/RJ. Domingo, 24 de outubro-2021. www.instagram.com/freipetronio

AO VIVO- MORRO DA CARIOCA. Santa Missa com Frei Petrônio de Miranda, O. Carm, direto do Morro da Carioca-Angra dos Reis/RJ, Comunidade Nossa Senhora das Graças. Sábado, 16 de outubro-2021.

Evangelho (Lc 11,47-54)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse o Senhor: 47“Ai de vós, porque construís os túmulos dos profetas; no entanto, foram vossos pais que os mataram. 48Com isso, vós sois testemunhas e aprovais as obras de vossos pais, pois eles mataram os profetas e vós construís os túmulos.

49É por isso que a sabedoria de Deus afirmou: Eu lhes enviarei profetas e apóstolos, e eles matarão e perseguirão alguns deles, 50a fim de que se peçam contas a esta geração do sangue de todos os profetas, derramado desde a criação do mundo, 51desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o santuário. Sim, eu vos digo: serão pedidas contas disso a esta geração. 52Ai de vós, mestres da Lei, porque tomastes a chave da ciência. Vós mesmos não entrastes, e ainda impedistes os que queriam entrar”.

53Quando Jesus saiu daí, os mestres da Lei e os fariseus começaram a tratá-lo mal, e a provocá-lo sobre muitos pontos. 54Armavam ciladas, para pegá-lo de surpresa, por qualquer palavra que saísse de sua boca.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Convento do Carmo de Angra dos Reis/RJ. Quinta-feira, 14 de outubro-2021.

Um Olhar do Frei Petrônio de Miranda, O. Carm, sobre o Mês da Bíblia- 50 Anos do mês da Bíblia. Convento do Carmo de Angra dos Reis/RJ. 1º de setembro-2021. www.instagram.com/freipetronio

MÊS VOCACIONAL... Reflexão do Frei Petrônio de Miranda, O. Carm- No Domingo da Assunção de Nossa Senhora- sobre o Dia dos Consagrados. Convento do Carmo de Angra dos Reis/RJ. Domingo, 15 de agosto-2021. www.instagram.com/freipetronio

Santa Teresinha não existiu... Da série, um olhar vocacional sobre a vocação sacerdotal e religiosa neste mês vocacional. Vídeo -02. Gravação: Convento do Carmo de Angra dos Reis, Rio de Janeiro. Segunda-feira, 3 de agosto-2021. Contatos para sugestões e críticas. Whatsapp- Frei Petrônio de Miranda. (21) 98291-7139)

Santa Teresinha não existiu... Da série, um olhar vocacional sobre a vocação sacerdotal e religiosa neste mês vocacional. Vídeo -01. Gravação: Convento do Carmo de Angra dos Reis, Rio de Janeiro. Segunda-feira, 2 de agosto-2021. Contatos para sugestões e críticas. Whatsapp- Frei Petrônio de Miranda. (21) 98291-7139)