SANTA TERESA DE JESUS: Um Olhar. Frei Saverio Canistrà, OCD. Prepósito Geral dos Carmelitas Descalços.

(Conferência no IV Encontro da ALACAR-Associação Latino Americana dos Carmelitas. Aconteceu de 26 a 31/10/2015 em El Salvador. Câmera: Frei Petrônio de Miranda, O. Carm. www.olharjornalistico.com.br www.instagram.com/freipetronio

SANTA TERESA DE JESUS: Um Olhar. Frei Alfredo Guillen, O. Carm.

(Conferência no IV Encontro da ALACAR-Associação Latino Americana dos Carmelitas. Aconteceu de 26 a 31/10/2015 em El Salvador. Câmera: Frei Petrônio de Miranda, O. Carm. www.olharjornalistico.com.br www.instagram.com/freipetronio

Mensagem do Prior Geral, Frei Míceál O'Neill, O. Carm, para a celebração dos 300 Anos da Província Carmelitana de Santo Elias. Câmera: Frei Juliano, O. Carm. Roma, 27 de  setembro-2019.

CAPÍTULO DOS CARMELITAS-2019. Frei Míceál O'Neill, O .Carm, da Província Irlandesa, eleito novo Superior Geral. No vídeo, mensagem para OTC do Brasil. Por Paulo Daher. Rio de Janeiro, 26 de setembro-2019.

Reunião da Família Carmelita, Ordem do Capítulo Geral de Carmen, 24 de setembro de 2019

 

Em 24 de setembro, o Capítulo Geral recebeu a Família Carmelita. A Eucaristia presidiu a Preposição Geral dos Carmelitas Descalços, Pe. Saverio Cannistrà, OCD e dirigiu a reflexão intitulada: "A transmissão do carisma". Foi apresentado pelo Pe. Fernando Millán, O.Carm., Sublinhando a excelente colaboração que se desenvolveu entre as duas Cúrias Gerais nos últimos anos.

O padre Saverio lembrou-nos que o diálogo entre o professor e o discípulo é o método de transmissão do carisma. Um a um. A vida religiosa, desde os tempos antigos, expressa sua vitalidade na relação professor e discípulo. As palavras dos pais e mães do deserto sempre começam com uma pergunta do discípulo. E a palavra oferecida é uma palavra vivida, experiente e, portanto, provocativa. O professor é o 'coração' que guarda a 'memória'. Sem diálogo e encontro, a nova geração recebe palavras infecciosas. A paternidade espiritual consiste na transmissão da vida. O velho transmite não o que sabe, mas o que é. A força da transmissão está na qualidade do seu ser. O que irradia é algo novo, não apenas teórico. A transmissão de conhecimento é importante apenas em um primeiro nível, porque 'você não ama o que não sabe'. O segundo nível iria além da informação: transmitir vida. Um terceiro nível seria articular, através da internalização, uma série de exercícios (incluídos em nossa Regra e Constituições), que moldam um estilo de vida. O discípulo perguntou a Antônio, o Grande: - “Por que agora os monges não têm palavras para oferecer? - O professor responde: "Porque as crianças não sabem mais ouvir." No entanto, levantou uma questão adicional à Família Carmelita para reflexão: "Podemos descarregar a culpa apenas nas crianças ou talvez os pais também não possam falar?" uma série de exercícios (incluídos em nossa Regra e Constituições), que moldam um estilo de vida. O discípulo perguntou a Antônio, o Grande: - “Por que agora os monges não têm palavras para oferecer? - O professor responde: "Porque as crianças não sabem mais ouvir." No entanto, levantou uma questão adicional à Família Carmelita para reflexão: "Podemos descarregar a culpa apenas nas crianças ou talvez os pais também não possam falar?" uma série de exercícios (incluídos em nossa Regra e Constituições), que moldam um estilo de vida. O discípulo perguntou a Antônio, o Grande: - “Por que agora os monges não têm palavras para oferecer? - O professor responde: "Porque as crianças não sabem mais ouvir." No entanto, levantou uma questão adicional à Família Carmelita para reflexão: "Podemos descarregar a culpa apenas nas crianças ou talvez os pais também não possam falar?"

Em seguida, a irmã tomou a palavra. Elena Font, freira de fechamento contemplativa, Sr. Celia, religiosa carmelita brasileira das Irmãs Missionárias Carmelitas de Santa Teresa do Menino Jesus e Francisco Javier Berna e Sra. Sabrina Rubio, casamento dos leigos carmelitas. Cada um apresentou sua experiência pessoal de seu estado sobre o tema do Capítulo Geral.

À tarde, foi plantada uma oliveira, um memorial deste Capítulo Geral 2019, como foi feito em 2001. Pe. Mario Alfarano, O.Carm., Delegado para as freiras, comunidades e institutos de 'eremita' afiliados a a Ordem, expôs a situação global da Ordem. Ele ressaltou que a Família Carmelita tem um exército de testemunhas que podem transmitir, de acordo com seu estilo de vida, o carisma carmelita em todo o mundo. Em seguida, o prior geral, P. Míceál O'Neill, O.Carm., Apresentou o status atual dos leigos carmelitas e convidou todos os membros da Família Carmelita a participar do trabalho dos grupos e discutir quatro perguntas:

1- Qual a sua experiência com a Família Carmelita?

2- O que você espera da Família Carmelita?

3- Que dificuldades temos que superar para cumprir a missão da Família Carmelita?
4- O que você gostaria de dizer aos outros membros da Família Carmelita?

Pe. Santos e Félix de Venezuela, tiveram um espaço durante o Capítulo, antes de orar vésperas, para poder dirigir algumas palavras aos capitulares e explicar a situação, a corrente e a crise pela qual a Venezuela está passando e como isso afeta para a vida das comunidades carmelitas.

O dia terminou, depois do jantar, com um momento de recreação comunitária, onde cada grupo linguístico participou com músicas e danças. O grupo espanhol (frades, freiras e leigos) encantou o resto da família carmelita cantando uma adaptação carmelita da Salve Rociera. Fonte: https://www.carmelitas.es

Em 23 de setembro, após o intervalo de domingo, no qual os capitulares visitaram o Castel Gandolfo, local emblemático de aposentadoria dos papas e antiga residência do imperador Domiciano, os trabalhos capitulares foram retomados.

A manhã foi moderada pelo padre Desiderio García, O.Carm., Iniciando o trabalho com a proclamação do Evangelho do dia e com o convite para viver como filhos da luz. Começamos a votar nas últimas propostas sobre as Constituições e iniciamos o estudo e votação das relacionadas a questões governamentais, comissões internacionais, propostas sobre as realidades da Europa, coordenação de novas fundações, treinamento, cultura, identidade carmelita, justiça e justiça. paz e proteção da criação, liturgia e economia carmelitas.

De manhã, membros da Família Carmelita começaram a chegar. O Secretário da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, Dom José Rodríguez Carballo, OFM. Ele parabenizou o prior geral, as guildas capitulares e os membros da família carmelita. Agradeceu a estreita colaboração que a Congregação desenvolveu durante esses últimos anos com a nossa Ordem.

Durante sua homilia, ele se concentrou na figura do profeta Elias como uma figura muito atual e inspiradora de nosso carisma e espiritualidade, destacando três verbos que moldam a vida do profeta: levante-se, coma e ande.

1- " Levante-se". Como um antídoto para a demissão, que ele descreveu como um verdadeiro veneno da vida religiosa.

2- "Coma". Voltando às fontes, vivendo fielmente nossa tradição, como o Papa Francisco nos lembrou em sua mensagem, a fim de nos abrirmos para o futuro.

3- Andar. Com um coração indiviso, juntos, evitando as insidias que criam divisão e quebram a comunhão no essencial.

Mons. Carballo, mais tarde, parabenizou e agradeceu às freiras contemplativas que estavam participando da celebração. Enviou, através deles, uma cordial saudação de todos os CIVCSVA a todos os mosteiros das freiras carmelitas, sublinhando o interesse e o amor que a Congregação manifesta pela vida monástica feminina. Eles participaram conosco da Eucaristia e da comida, Sabrina e Berna, leigos carmelitas que trabalham com os grupos JUCAR. À tarde, o capítulo continuou. Fonte: https://www.carmelitas.es

O Papa propõe à família Carmelita três diretrizes para a sua caminhada: “fidelidade e contemplação, acompanhamento e oração, ternura e compaixão”.

Manoel Tavares - Cidade do Vaticano

O Santo Padre recebeu na manhã deste sábado (21/9), na Sala do Consistório, no Vaticano, cerca de 100 participantes no Capítulo geral da Ordem dos Frades da Bem-aventurada Virgem Maria do Monte Carmelo, conhecidos como Carmelitas.

Durante os trabalhos capitulares, que se iniciaram dia 2 de setembro e se concluem, neste sábado com a Audiência Pontifícia, o Papa Francisco havia enviado uma Mensagem aos membros da família religiosa Carmelita, partindo do tema central do Capítulo: "Uma palavra de esperança e salvação: o carisma Carmelita e a missão do Carmelo hoje". O Santo Padre disse-lhes, entre outras coisas: “Em um momento de graça e renovação, vocês são chamados a discernir a missão da gloriosa Ordem Carmelita. Por isso, transmito-lhes minha palavra de encorajamento e esperança".

Em sua Mensagem, o Papa recordou ainda aos Padres Capitulares: “Após tantos séculos, o carisma do Carmelo continua sendo um dom para toda a Igreja e uma contribuição peculiar para a edificação do Corpo de Cristo, mostrando ao mundo a Face luminosa e santa de Jesus".

E, hoje, durante a audiência aos Padres Capitulares, na conclusão do seu Capítulo Geral, Francisco retomou a temática central dos trabalhos, partindo da frase bíblica: “Vocês serão minhas testemunhas, de geração em geração”, mediante a fidelidade ao seu carisma Carmelita: “ Deus abençoou Carmelo com um carisma original para enriquecer a Igreja e comunicar a alegria do Evangelho ao mundo, compartilhando o que vocês receberam com entusiasmo e generosidade ”

Neste sentido, o Santo Padre propôs aos membros da família Carmelita três diretrizes para a sua caminhada: “fidelidade e contemplação, acompanhamento e oração, ternura e compaixão”.

Ao falar da primeira, “fidelidade e contemplação”, o Papa recordou aos Carmelitas sua missão eclesial, dizendo: “A Igreja tem grande apreço por vocês, porque o Carmelo é uma verdadeira escola de contemplação de Deus. Embora o Carmelo seja uma Ordem mendicante de vida ativa, mantém a solidão e o desapego do mundo, que, junto com a contemplação, representam a melhor parte da sua vida espiritual”.

Sobre a segunda diretriz, “acompanhamento e oração”, Francisco disse que o Carmelo é sinônimo de vida interior. Os místicos e escritores Carmelitas entenderam que "estar em Deus" e "estar em meio às suas coisas" nem sempre coincidem. Logo, é preciso buscar as coisas de Deus enraizados nele. Caso contrário, o mundanismo, a tentação mais perigosa para a Igreja, pode surgir sobretudo entre nós, homens da Igreja”. Por isso, o Papa encorajou os Carmelitas a serem artesãos da fraternidade e de união com Deus.

Por fim, explicando a terceira diretriz, que um Carmelita deve seguir em sua vida, o Papa sugeriu “a ternura e a compaixão”. O contemplativo deve ter um coração compassivo e, mediante a contemplação, ser aberto à beleza, à verdade e à bondade. E concluiu:

“A contemplação seria passageira se fosse reduzida a êxtases e arrebatamentos, que nos distanciam das alegrias e preocupações das pessoas. Cuidado com o contemplativo não compassivo! A ternura de Jesus ajuda-nos a aproximar-nos das feridas do Corpo de Cristo, que, hoje, são visíveis nos irmãos despojados, humilhados e escravizados. Precisamos de uma revolução de ternura, que nos torna mais sensíveis diante da obscuridade da vida e das tragédias da humanidade”. Fonte: https://www.vaticannews.va

Frei Fernando Millán Romeral O. Carm, Ex- Prior Geral da Ordem do Carmo: Homenagem da “Palavra do Frei Petrônio” e do Olhar Jornalístico. Carmo da Lapa, Rio de Janeiro. 19 de setembro-2019.

Em 18 de setembro, no Capítulo Geral da Ordem de Carmen, foi realizado o discernimento e eleição dos Diretores para as diferentes áreas geográficas. De manhã, o P. Prior Geral, Míceál O'Neill, O.Carm presidiu a Eucaristia. e comentou a leitura de S. Paulo a Timóteo. São Paulo oferece alguns conselhos para se conduzir na vida: “Para que você possa saber como se conduzir na casa de Deus, que é a Igreja do Deus vivo, coluna e fundamento da verdade. Na verdade, é grande o mistério da piedade, manifestada na carne, justificada no Espírito, mostrada aos anjos proclamados nas nações, cridas no mundo, recebidas na glória. ”

 Os resultados das eleições foram os seguintes:

 

Conselheiro para a África:
Frei Conrad Mutizamhepo, O.Carm.

 

Conselheiro para as Américas:
Frei Luis Maza Subero, O.Carm.

 

Conselheiro para Ásia, Austrália e Oceania:
Frei Robert Thomas Puthussery, O.Carm.

 

Conselheiro para a Europa:
Frei Richard Byrne, O.Carm.

O Senhor nos abençoou com a generosidade desses irmãos que concordaram em acompanhar o prior geral no governo e na liderança de nossa Ordem. Fonte: https://www.carmelitas.es

Para África. Frei Conrad Mutizamhepo, O. Carm.
Para América. Frei Luis Maza Subero, O. Carm.
Para Australia e Oceania. Frei Robert Thomas Puthussery, O. Carm.
Para Europa. Frei Richard Byrne, O. Carm

Nesta manhã, na Festa de Santo Alberto de Jerusalém, em 17 de setembro de 2019, durante as eleições do Capítulo Geral, iniciou-se o processo de discernimento e votação dos membros do Conselheiro Geral. Padre Salvador Villota Herrero, O.Carm presidiu a Eucaristia. Nossa regra nos lembra o espírito de serviço: “Você, irmão B., e quem quer que tenha sido nomeado prior, tenha sempre em mente e ponha em prática o que o Senhor diz no evangelho: quem quiser ser o mais grande entre vós, seja teu servo, e quem quiser ser o primeiro entre vós seja teu escravo (R 22). ”

O Capítulo Geral, durante todo esse dia, elegeu para o governo da Ordem durante esses seis anos:

1- Prior Geral, P. Míceál O'Neill, O.Carm.

2- Vice-Superior Geral, P. Benny Phang, O.Carm.

3- Procurador Geral, Pe. Michael Farrugia, O.Carm.

4- Tesoureiro Geral, Christian Körner, O.Carm.

Com alegria, parabenizamos os novos membros do Conselho Geral. Pedimos que o Senhor lhe conceda força e discernimento no domínio de nossa Ordem.

  1. Cum cum pia pia.
  2. Benedicat Virgo Maria. Fonte: https://www.carmelitas.es

Vice Prior Geral.  Frei Benny Phang Khong Wing, O.Carm
Procurador Geral. Frei Michael Farrugia, O.Carm.
Ecônomo Geral: Frei Christian Körner, O.Carm.

A segunda semana do capítulo começou com um dia de lembrança e discernimento. Os louvores da manhã e a Eucaristia foram presididos por William Harry, provincial da Província Americana do Coração Puro de Maria. Em sua homilia, refletindo sobre o evangelho da época, o P. William enfatizou o fato de que freqüentemente encontramos expressões e experiências de fé onde menos as esperamos.

Anne-Marie Bos, da província holandesa, ofereceu duas meditações aos capitulares. A meditação da manhã foi na Via Crucis, escrita por B. Tito Brandsma em sua cela de prisão em Scheveningen. Anne-Marie comentou esses textos a partir do contexto da experiência pessoal de Tito, que viveu durante o período em que os escreveu, e de outros textos de Tito, nos quais destacou os significados importantes para nós. A sessão desta manhã foi seguida por um tempo de oração e reflexão silenciosas.

Na sessão da tarde, Anne-Marie refletiu sobre o conceito de misticismo oferecido por Tito Brandsma, ou a bela troca entre Deus e a humanidade. O misticismo nunca é completamente divino ou meramente humano. É precisamente o ponto de encontro entre as duas dimensões. É uma vocação para todos, não apenas para alguns. Em sua experiência espiritual, Tito sentiu que era sentinela de Deus por seu tempo e por sua sociedade, para defender e tomar partido de um verdadeiro conceito de Deus, o que levou Tito a dar importantes contribuições no campo da educação, convencido de que representava uma alta forma de ministério, através da qual homens e mulheres podem ser apresentados à Verdade e iniciados em uma experiência viva de Fé.

Após as reflexões de Anne-Marie, os membros do Capítulo se reuniram em grupos de idiomas para uma sessão de discernimento em vista das eleições a serem realizadas amanhã. O resultado do discernimento de cada grupo foi então compartilhado na assembléia geral.

Agradecemos a todos aqueles que demonstraram interesse ativo e que enviaram seus melhores votos para o Capítulo, bem como a todos aqueles que continuam a nos acompanhar constantemente com suas orações de boas-vindas. Fonte: https://ocarm.org/capitulumgenerale2019

ELEITO NOVO PRIOR GERAL: Pe. Míceál O'Neill, O.Carm., É um Frade da Província Irlandesa. Ele esteve em muitos ministérios da Ordem, inclusive na América Latina, e mais recentemente como Prior da CISA (a casa de estudos internacionais da Ordem em Roma). A Província britânica deseja a nosso irmão Míceál muitos parabéns e a certeza de nossas orações por seu novo ministério de serviço.

Imagem do Capítulo Geral da Ordem do Carmo em Sassone, Roma. Nota: O Capítulo acontece de 10-27 de setembro-2019. Reportagem: Frei João Paulo. Convento do Carmo da Lapa, Rio de Janeiro. 16 de setembro-2019.

O quinto dia do Capítulo Geral, 14 de setembro de 2019, coincidiu com a celebração da Exaltação da Santa Cruz, um feriado importante desde as origens de nossa Ordem de Carmen. De fato, isso é mencionado explicitamente em nossa regra: “Desde a exaltação da Santa Cruz até o domingo de Páscoa, você jejuará todos os dias, exceto aos domingos, a menos que a doença ou fraqueza corporal ou outra razão justa aconselhe dispensar jejum, porque a necessidade não tem lei ”(R 16).

Depois de celebrar a Eucaristia, presidida pelo Padre Juan Evangelista Quiroga Castañeda, Delegado Geral da Colômbia, foi à sala de aula. As sessões capitulares ao longo do dia foram dedicadas ao estudo e votação dos projetos de Constituições. As sessões capitulares moderaram, em espanhol, durante este dia, o P. Francisco Daza, O.Carm. e Pe. Desiderio García, O.Carm. O P. Michael Farrugia, O.Carm., Presidente da Comissão ad hoc, designado para estudá-los e revê-los, lembrou aos capitulares do longo e trabalhoso processo que se seguiu. Inicialmente, através de uma carta circular, em 2015, todas as Províncias, Comissários e Delegações Gerais foram convidadas a analisá-las e apresentar propostas de modificação. Em um segundo momento, oA comissão ad hoc elaborou, em cinco anos, reuniões de trabalho, que resultaram na preparação do esboço final que será revisado e votado nestes dias. Após a introdução, passamos a explicar o método de votação dos artigos revisados.

O padre Robert Toni, O.Carm., Prior provincial da província da Itália, convidou todos os sindicatos à tarde a participar da bênção da biblioteca em homenagem ao padre Bruno Secondin, O.Carm. , que foi instalado na casa "Il Carmelo" de Sassone. A coleção principal da biblioteca é a biblioteca pessoal que, durante muitos anos de estudo, Pe. Bruno Secondin, O.Carm. Estava se formando. Além dos sindicatos, amigos e membros do grupo Lectio Divina que ele próprio fundou na Paróquia de Santa Maria em Traspontina, participaram da bênção. A biblioteca é uma homenagem à sua pesquisa e disseminação da espiritualidade e cultura carmelitas. https://www.carmelitas.es

Em 13 de setembro, nos visitou o Capítulo Geral da Ordem do Carmo, Dom Antônio Muniz Fernandes, Carmelita. Foi ordenado bispo em 24 de maio de 1980. Atualmente é arcebispo de Maceió. Por seu trabalho com os mais desfavorecidos, os que estão nas ruas e os que sofrem vícios, ele foi batizado como Dom Antônio de da Paz. Ele presidiu a Eucaristia, pela manhã, e depois compartilhou com as algumas pistas sobre o papel da vida religiosa hoje.

1- Ele recordou a dimensão Eliana e Mariana de nossa Ordem e fez um breve histórico de nossa dimensão mendicante.

2- A gruta de Elias, a gruta de Belém (Maria) e a gruta da comunidade são espaços para o encontro com Deus. Ele ressaltou, comentando o evangelho, a necessidade de recuperar e ensinar os métodos da próxima geração de correção fraterna.

3- Para o mendigo, sua casa é o mundo. As fronteiras são a invenção dos homens, não criadas por Deus. Nossas comunidades são cada vez mais internacionais.

4- A atitude contemplativa nos leva ao acompanhamento espiritual das pessoas, servindo, curando e tocando as feridas dos membros do Corpo de Cristo: os pobres. Eles não são um acréscimo à nossa espiritualidade, não são um ornamento teológico. O Papa Francisco nos convidou a cheirar as ovelhas. A análise do texto do Monte serviu a Dom Antônio para sublinhar que, na genealogia de Cristo, aparecem 4 mulheres estrangeiras (Rahab, Tamar, Ruth e Bersabé). Deus enxertou em sua linhagem homens e mulheres de todas as raças, idiomas, pessoas e nações, que não são precisamente um modelo de virtudes. 

A presença, cordialidade e proximidade de Dom Antônio Muniz com os irmãos foi um momento de alegria. https://www.carmelitas.es

O dia 12 de setembro do capítulo geral foi um dia de reflexão. Eles nos ajudaram na meditação, de manhã, Pe. Michael Casey, OCSO e Professora Bruna Costacurta, ambos abordaram o tema do capítulo "Vocês serão minhas testemunhas de geração em geração", da vida espiritual e consagrada e da reflexão bíblica. Da vida espiritual e consagrada, o padre Michael Casey apresentou a palestra com o título: “Tradição, desafios e testemunho. Meditação para o Capítulo Geral dos Carmelitas- 2019 ”. A professora Bruna Costacurta, da reflexão bíblica, concentrou-se no profeta Elias com a palestra: "Testemunho profético para a geração de hoje". A partir de suas reflexões, destacamos quatro pensamentos:

 

1- Tradição.

Uma tradição não é extinta apenas por forças externas. Se ela desaparece, às vezes é porque aqueles que a mantêm são desencorajados e não têm discernimento para reagir e se abrir para um futuro que exige conversão. Uma imagem ilustraria esse pensamento. Imagine que somos um tenista que deve devolver as bolas mais difíceis que lhe são apresentadas no jogo. Ninguém levaria a sério um tenista que quisesse jogar apenas os pontos que lhe eram confortáveis. No jogo, o jogador não sabe que tipo de bola seu oponente jogará contra ele. Ele precisa ser treinado não apenas para se defender do golpe de seu oponente, mas de forma criativa, para retroceder inesperadamente. Um tenista amador pode ser diferente, mas espera-se que um jogador profissional retorne qualquer bola que venha antes dele.

 

2- Desafio. 

Deveríamos priorizar as atividades mais estreitamente relacionadas ao nosso carisma, reconhecendo que, nesses tempos, em algumas latitudes, a renovação é mais uma questão de subtração do que de soma. O cardeal Braz de Aviz, em 2012, enfatizou em um congresso beneditino: "Embora possa parecer incrível, precisamos ter a coragem de diminuir nossas obras para salvar nosso carisma".

 

3- Depoimento. 

O requisito é "ser o que somos". A única maneira de testemunhar é que somos o que somos na vida cotidiana. A partir daqui, vem o verdadeiro milagre da renovação e transformação: "Torne-se o que você estava destinado a ser e incendiará toda a Itália" (Catarina de Siena).

 

4- O profeta Elias é um modelo do processo de transformação carmelita.

 

1- Elias, profeta da reconciliação. 

Elias é um instrumento de reconciliação entre Deus e o povo em meio a uma situação de extrema necessidade (seca, falta de chuva, morte). O fim de seu processo e disputa é a reconciliação para tirar o outro do círculo do mal. Diferentemente do julgamento solicitando a condenação do culpado, não há condenação no rîb (ação, disputa). Além disso, é evitado que os ímpios se convertam. Há denúncias do mal como mal, mas como o mal que foi perdoado e derrotado se o culpado o aceitar. Jesus Cristo é o justo que oferece perdão que tira o pecado e libera os homens do mal para sempre.

 

2- Elias, homem do silêncio. 

É o silêncio pessoal e comunitário do qual nasce a verdadeira justiça. Jesus Cristo responde em silêncio e se torna vítima de qualquer acusação de libertar todos os homens. Como reagimos a esta geração? Sabemos transformar, como Elias, a morte em vida? Elias se coloca ao serviço de Deus e se torna um intercessor de sua misericórdia. Também temos que decidir hoje entre o bem e o mal, mas pelo amor de quem perdoa, de quem não julga, mas de quem fica ao lado de homens que procuram a verdade. Este serviço nos levará à perseguição e renovação de nossa fidelidade a Deus através da escuta obediente à Sua Palavra.

 

3- Palavra de Deus e fidelidade. 

Apelo à fidelidade criativa que vai além do preceito e do formalismo e que se abre para uma obediência interna filial, que internaliza e já endossa a Palavra. O exemplo de Tobit é muito enriquecedor: um homem justo e fiel, que costumava ir ao templo, oferecia as primícias e o dízimo; quando chega a desgraça do exílio, ele não pode mais fazer o mesmo para servir a Deus. Tobit não permanece bloqueado, ele permanece fiel e criativo para servir a Deus e ao próximo, mas de uma maneira diferente: ele não pode mais dar primícias e dízimos, mas esmola aos pobres; Ele não poderá mais frequentar o templo, mas prolongará sua piedade enterrando os mortos. Tobit se reinventa, permanece fiel a Deus, mas se adapta às novas circunstâncias do exílio. Esse é o nosso desafio. https://www.carmelitas.es