Frei Jorge Van Kampen, Carmelita. In Memoriam. (*17/04/1932 + 08/08/2013)

Assim como na primeira criação Deus infundiu vida ao homem, assim o sopro de Jesus comunica vida nova na criação espiritual. Cristo, que morreu por nós para apagar o pecado do mundo, agora na ressurreição entrega à Igreja o poder de perdoar o pecado. Na pessoa de Jesus encontramos um mundo novo, onde o pecado pode ser perdoado pelo Sacramento do Perdão. É uma riqueza da Igreja. Ao instituir-nos sobre o pecado, percebemos, que há alguma coisa, que restabelece o amor. Amar é saber perdoar.

Liturgia da Palavra de Deus. (At. 2, 1-11; 1 Cor.12, 3-7 e 12-13; Jo. 20,19-23). O Espírito Santo não é um agrupamento de pessoas, mas o Espírito Santo nos une. Assim como a torre de Babel fez rebelar os homens contra Deus, assim a Palavra de Deus reúne a Família Cristã. Os dons do Espírito Santo servem para promover a Igreja e a assistência promocional. O Espírito Santo dá a Paz e o Perdão de Deus.

Reflexão.

Espírito de Deus, animai-nos, para que possamos juntos carregar a responsabilidade sobre a nossa comunidade paroquial, não nos deixeis recusar qualquer apelo, que contribui para o bem comum de todos. Espírito de Deus, fazei, que saibamos acolher as pessoas em torno de nós: que encontremos a nossa inspiração com as nossas conversas diárias, para que assim a presença de Deus se torne visível entre nós.

Espírito de Deus, ficai conosco, andemos juntos na estrada da vida, carregai os nossos defeitos, para que nós possamos carregar os defeitos dos outros, ao exemplo de Jesus, nosso irmão. Amém.

Resposta à Palavra de Deus.   

A Igreja não pode ser um grupo fechado. Na manhã de Pentecostes o Espírito Santo encheu os corações para proclamar a nova língua de Amor, de Unidade, e de Paz.